quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

...


A todas as mulheres... a todos os homens, às crianças e aos animais...
À minha família, aos amigos, aos colegas, aos meus amores, às minhas paixões...
Às coisas Belas e menos belas, a todos com quem me fui cruzando e a todos os que me vão aturando!
Aos visitantes do Blog(ue) e até aos que desconhecem a sua existência...
A todos Vocês, eu desejo um Feliz ano de 2009!
Com tudo aquilo que mais desejam e com aquilo que o Pai Natal se esqueceu de deixar no sapatinho!

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

1998

1998...




ERA...

Meus amigos, estou de volta à franja (10 anos depois!)...

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

BSO # 2

Porque os amigos são mais do que muitos (e ainda bem), uma nova BSO surgiu!

Depois de alguns desentendimentos e ânimos alterados,


Luís: The Story - Brandie Carlile


Obrigada, e ainda bem que as nossas zangas são "sol de pouca dura" !

BSO 2008

À semelhança de anos passados, o grupinho das noites maléficas (este ano com 3 pessoas novas: Sara, João, Jota), preparou as BSO's para trocar em noite de Passagem de Ano!

Acontece que, este ano, a curiosidade foi mais que muita e antecipamos esta nossa troca...

Portanto, aqui fica a BSO 2008 dedicada à minha pessoa:


  1. André G.: No Regrets - Robbie Williams (live at knebworth)
  2. Marta: Faz-me Um Sinal - Pólo Norte
  3. Gustavo: Don't Worry, Be Happy - Bobby McFerrin
  4. André: I Kissed a Girl - Katy Perry
  5. Gabriel: Promise Me - Beverley Craven
  6. Mariana: La Solitudine - Laura Pausini
  7. Isa: Intervalo - Per7ume & Rui Veloso
  8. Jonas: Kiss - Prince (Ricardo Soler & Jonas Lopes Versão)
  9. Sara: I Have Nothing - Whitney Houston
  10. Rafael: Rehab - Amy Winhouse
  11. Tânia:No Me Platiques Mas - Luis Miguel
  12. João: Se Eu Fosse Um Dia O Teu Olhar - Perdo Abrunhosa
  13. Samuel: The Man Who Can't Be Moved - The Script
  14. Jota: Jardins Proibidos - Paulo Gonzo e Olavo Bilac (live)
  15. Ana: No Air - Jordin Sparks feat. Chris Brown
  16. Dandy: Friday I'm In Love - The Cure

Ora, a todos vocês, se dirige o meu agradecimento.

Esta é, sem dúvida, a melhor BSO em 5 anos!

Nota: Quero avisar, publicamente, o responsável pela foto de capa que vai pagar caro!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

domingo, 21 de dezembro de 2008

Férias

O cansaço é mais que muito.
Nem tanto o físico (que também o há), mas sobretudo o emocional!
Ando cansada de todas estas emoções que se confundem e me confundem. Dos sentimentos controversos que me deixam esgotada. Das palavras que magoam tanto...
Estou, definitivamente, a precisar de férias.
Férias do ISCSP, férias da confusão, férias das pessoas, férias de mim mesma!
Bem, as do ISCSP já cá cantam, assim como as de algumas pessoas....faltam as férias que me vão dar mais gozo, aquelas férias em que tudo se vai tornar mais claro, onde se vão recarregar baterias, onde vou passar a ser mais eu!

domingo, 14 de dezembro de 2008

Salvem os Ricos - Os Contemporaneos

Chorar a rir, para não chorar de vergonha (do estado deste país)!

perndas de Natal

Ora, diz quem sabe (ou não) que este natal vou receber de prenda um Fabuloso Automóvel.

Perante isto, algumas questões:

1. Quem é que ganhou o euro milhões e não me disse nada?

2. Poque é que, primeiro, não me oferecem a carta de condução?

3. Por acaso sabem qual é aquele pópó que habita nos meus sonhos?

4. É de mim, ou a Rádio Comercial não acertou?!

:D

sábado, 13 de dezembro de 2008

J(ota)

Na mão trazia o cigarro, seu companheiro de alguns anos, com a outra, livre, abriu a pesada porta para que finalmente, ao ar livre, pudesse matar o vício.
O olhar distante, esverdeado pelo sol, mantinha-se sereno, como em todos os dias. A brisa, suave, afagava-lhe a pele morena e levava o fumo que deixava escapar do seu cigarro.
Lentamente, caminhou, como que se arrastando, em direcção a um dos muros, onde se apoiou. Não era um dia fácil, aquele. Ao contrário de quase todos os dias, a sua boa disposição matinal deu lugar a uma total e absoluta depressão.
Fui para perto DELE. Com o volume mais baixo que a minha voz permitiu, disse-lhe olá. Retribuiu-me com um sorriso e um Bom Dia na sua voz tabágica e rouca, que como sempre me arrepiou.
Cedo percebi que o silêncio ia imperar. Tinha tanto para lhe dizer, mas perante tal situação não fui capaz de o fazer (não por falta de coragem, mas porque percebi que devia ser ELE a quebrar o silêncio).
Também ELE percebeu, pouco tempo depois, que aquela situação era insustentável e por isso voltou a sorrir e num bafo último do seu cigarro disse, por entre os dentes, que nos devíamos sentar. E assim foi.
Sobre a mesa os cafés iam arrefecendo. Esperei que surgisse tema de conversa e quando surgiu, limitei-me a ouvir, só no fim falei.
Enquanto ouvia, observava-o. As suas mãos, gigantes com dedos igualmente grandes e finos, tremiam (presumi que tem o hábito de roer as unhas, já que as vi num estado lastimável) e os seus olhos piscavam de forma repetida. A barba rala fica-lhe melhor, pensei, já que não a estava a usar.
No fim, já ao som de uma música, da qual sempre gostei, prometemos um ao outro esquecer aquela conversa. Por coincidência, ambos começamos a trautear a mesma música e de repente estávamos a cantar como se não houvesse amanhã...
E aí, sim, os seu sorriso, aquele que irradia felicidade e nos aquece a alma,aquele sorriso de criança inocente, surgiu naturalmente!
A despedida veio para os dois, assim como para o seu dia cinzento...





quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Friends

Já se passaram 3 anos desde o dia em que te conheci...
Chegas-te a medo no meio de uma aula de Educação Física. Rapidamente, aproximaste-te de mim para me fazer uma qualquer pergunta sem importância e depois de alguns minutos ficamos ali em conversa de circunstancia...
Com o tempo, as conversas de circunstancia foram cedendo espaço para conversas mais pessoais e pouco depois já andávamos com as nossas filosofisses...
Passados uns dias, fiquei a saber que moravas na mesma terrinha que eu. Como foi possível viver a dois passos da tua casa e nem sequer saber que existias?!

Essa tua singular forma de ser, nem sempre trouxe facilidades à nossa relação (bem como a minha, admito que tenho um feitiosinho muito especial), mas sempre soubemos superar as zangas, as birras os confrontos e tudo o resto...

As afinidades são mais que muitas, as discórdias também. Acho até, dever-se a esse facto a nossa tão saudável amizade.

As divagações e dissertações sobre Histórias e estórias, as brincadeiras parvas, as conversas intelectuais, os trabalhos de grupo que não fazíamos (porque nunca o conseguimos fazer juntos), os ataques de riso, a galhofa das aulas de E.F., as cenas deprimentes na Vila, os almoços (nas Galerias, na mãe do "Brasileiro", na Jolima....), as idas ao cinema e às compras, os interesses comuns e tudo o resto que agora servem apenas de pretexto para nos metermos na vida um do outro, porque já não pedimos autorização para entrar, temos confiança mais do que suficiente, para o fazermos.

E hoje, com mais de 350 km de distancia, soube-me tão bem uma palavra tua (ainda que através do msn).

A TUA amizade faz-me bem!

OBRIGADA POR TUDO!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Beleza?!

video

Porque às vezes precisamos de um abanão da vida, para acordar!

*

Porque as pessoas não têm que ser todas iguais (e ainda bem que não), fico feliz por ser diferente .
Fico mais feliz ainda quando aceitam essa diferença, mas a minha felicidade atinge o seu auge quando essa diferença é compreendida (mesmo que não seja aceite).

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Rosa Branca


Por muito tempo achei que a ausência é falta.

E lastimava, ignorante, a falta.

Hoje não a lastimo.

Não há falta na ausência.

A ausência é um estar em mim.

E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,

que rio e danço e invento exclamações alegres,

porque a ausência, essa ausência assimilada,

ninguém a rouba mais de mim.


Carlos Drummond de Andrade



Porque tu não estás ausente em mim, porque percebo, agora, que estás sempre comigo e o teu calor continua a aquecer o meu coração...

A rosa simboliza o dia que não pude estar contigo e o poema é dedicado a ti!

domingo, 7 de dezembro de 2008

Programa infantil

Domingo.
Ao contrário de (quase) todos os outros acordei cedo! Não há nada para fazer, portanto toca a ver desenhos animados na companhia da sobrinha (sim, este fim de semana é tempo para matar saudades!)

Os desenhos animados acabam e eis que surge o programa infantil "Lucy" e, como não havia nada melhor para fazer, toca a papar esse progarma também!

Agora espantem-se, porque eu fiquei em estado de choque!

Mas que raio de programa infantil é este em que a apresentadora anda meia descascada (vá lá, hoje até estava compostinha) e canta nada mais nada menos do que "Lady Marmalade" das poderosíssimas LaBelle!

Proíbam as vossas crianças de ver essa "coisa" a que chamam programa infantil, se fazem o favor!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

eterno...

Li, algures num blog(ue) que passei a visitar frequentemente, algo que me comoveu (o que não é muito difícil, dado o meu estado de espírito):
"Dizem - me que morreste, insistem nessa tolice.
Mal sabem eles que o amor eterno existe e que vai muito para além desse pormenor da morte."
Ao ler isto fico completamente desarmada (e as lágrimas, essas correm cara a baixo). No pensamento, vários rostos. Há um que se destaca, o seu pai!

(e as lágrimas correm mais, e o coração fica em frangalhos...)

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Monstro das Bolachas

Cá em casa há pacotes e pacotes delas.

Podes ficar com todas. Eu dou-tas, são tuas!

Mas fala comigo. Tenho tantas saudades tuas!





[meu] Monstro das bolachas!