sábado, 28 de novembro de 2009

Essa época a que se chama Natal...

Começou oficialmente aquela época do ano em que me apetece fugir com tanta hipocrisia!

Isso mesmo, o Natal está a chegar. Está espalhado por todo o lado nas ruas da cidade, nos meus cafés favoritos, nos centros comerciais, nas montras das lojas (essas foram as primeiras), na televisão, aqui no bairro e até no ISCSP já estavam a montar a árvore de natal!

Para quem não sabe, esta época irrita-me solenemente!
Primeiro porque já ninguém a comemora pelo seu motivo primordial (nascimento de jesus blá blá blá, não sou muito entendedora do assunto), depois porque o fica bem ser solidário nesta altura e oferecer aquilo que se tem (e que não se tem) aos pobrezinhos, porque coitadinhos precisam muito e porque não devemos ser avarentos, devemos ajudar o nosso vizinho e no dia a seguir já ninguém se lembra dos pobrezinhos e bora lá torrar o cartão de crédito no centro comercial mais próximo, com prendas e prendinhas para o tio, a prima, o avô, o cão e o periquito... (que aliás me irritam ainda mais: toma lá a caixinha de bombons e dá cá o par de peúgas que para o ano voltamos a trocar!)

A programação dos canais de televisão genérica já é má no resto do ano, no Natal fica incrivelmente pior. Mas alguém diz aos directores de programas da RTP1, SIC e TVI que já toda a gente viu o "Sozinho em casa 1, 2, 3 e 4", "Os 101/2 dálmatas" "Sherek 1 e 2" umas 358 mil vezes e que até já sabemos as falas de cor?!
Já para não falar nas Galas de Natal, o Natal dos hospitais, na prisão, no infantário, no hotel e no raio que parta as pessoas que têm ideias tristes como estas!

Quem vai à Toys R' Us neste período natalício ou é crente (e nesse caso respeito imenso) ou quer suicidar-se e não sabe como! De criancinhas chatas a fazerem birras de meia-noite na sua vozinha histérica e esganiçada, a pais de cabelo em pé com olhos esbugalhados com vontade de exterminar meia loja, encontram-se os mais vaiados brinquedos e afins de entretenimento que nunca mais acaba!

E um sem fim de coisas fazem com que o a época que toda a gente adora, se transforme para mim numa época estranhamente má!
Como já deu para perceber o Natal deixa-me exaurida e como tal, para acalmar os nervos e também porque este post não fala neoutra coisa que não o Natal, bora lá procurar o Molly no seu Natal!
Vá, deixem-se lá de coisas! Não dizem que é no Natal que a criança que há em nós se liberta?!

3 comentários:

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Oh querida, a criança anda sempre com a franga solta, deste lado, o problema é quem na TOYs R'US há remédio. Eu cá gosto do Natal, basicamente pela união familiar e pela comidinha boa. Boa, porque é saboreada entre guitarras, vozes e papéis pelo ar. É da Família que eu gosto, não essencialmente do Natal.

Concordo contigo em tudo e digo-te que me deste agora umas óptimas gargalhadas, na parte do Toys R'US, principalmente. As TV's são piores, mais do que pelos filmes com 300 repetições ou os programas de natal em todo o lado, mas antes pelos horripilantes anúncios de bonecos para oferecer no Natal. Rrrrr. Já não há anúncios com os da Nestlé ou da Coca-Cola!

BEijoca

Mónica disse...

Eu adoro o Natal, mas não é exactamente pelas prendas e pelas aquelas coisas todas ( também gosto muito, mas não é) é pelo espirito de uniao familiar, e isso sabe muito, muito bem. Pelo menos para mim.
Mas compreendo a tua opinião !

Ps: Já somos duas ! Aquele senhor, fala tão bem *.*

Mónica disse...

Miminho para ti no meu blog :)