quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

O Mais Louco Carnaval de Lisboa é no Politeama, com "A Gaiola das Loucas"

No dia do enterro do entrudo a grande questão é: E como foi esse Carnaval?
Com muitos balões de água e porcarias à mistura; Máscaras e acessórios pindéricos e afins??
O meu foi com muitas purpurinas e plumas, mas isso agora não interessa nada...ou até interessa. «Porquê?» Estão vocês a perguntar, suas almas curiosas.
E eu respondo «Porque fui ver "A Gaiola das Loucas" ao Politeama!» E agora vocês morrem de inveja e com razão, porque é de facto um grande espectáculo.
Para quem ainda não viu vá a correr comprar os bilhetes para ver, quem já viu deve compreender o porquê de não ser possível passar para um texto a grandiosidade do musical do La Féria.
Estou mesmo extasiada.
Os bailarinos são brilhantes, as canções fantásticas e super bem interpretadas. Carlos Quintas num papel fenomenal assim como Joel Branco que muito bem representa a pronuncia da cidade "Imbicta".
Mas é José Raposo quem recebe a minha maior ovação já que foi também quem me faz ir às lágrimas. No papel de Zázá, fez-me compreender o porquê do meu fascínio pelos espectáculos de transformismo. O porquê da minha admiração profunda por aqueles homens que se transformam em autênticas senhoras.
José Raposo mostra-se como um brilhante, extremamente brilhante actor!
A sátira politica está, também, presente. E assim se prova como um drama e comédia podem andar de mãos dadas.
Palavras para quê?! "Somos o que somos"!
Até para o ano, quando o Carnaval ressuscitar porque hoje enterra-se o Entrudo.

8 comentários:

Carla disse...

Gostava que tivesse tido balões de água à mistura, umas quantas pinturas e fazer os meus próprios confétis...ou seja...digo como gostaria porque simplesmente não foi, Economia me chama e por isso não me importava que pudesse atirar uns quantos balões aos senhores professores, pintar aqueles apontamentos todos e no fim rasga-los todinhos até ao mais pequeno pedaço de papel.


Até que acordei e bora lá a mais umas quantas horas de estudo =D
Shame on me...que nunca vi uma espectáculo do La Féria =/

Beijinhos*

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Que giro.
Esta frase é mesmo à pseudo-lisboeta-centralista-e-centralizador: "Para quem ainda não viu vá a correr comprar os bilhetes para ver, quem já viu deve compreender o porquê de não ser possível passar para um texto a grandiosidade do musical do La Féria."

Estás a ficar alfacinha, queria Catarina. Ai estás estás.

:)

Beijoca

AnAndrade disse...

Luís - Tenho a comunicar que não percebo onde vês o centralismo na frase da Catarina... Pois se eu vi o espectáculo aqui mesmo, na Imbicta (carago!) e tive a mesma impressão, apesar de não ser, de todo, fã do senhor La Féria... Hmmm...

Catarina - Corroboro por inteiro a tua opinião sobre o José Raposo. FA-BU-LO-SO!

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Venho por este meio informar que eu não me posso enervar por culpa da minha Úlcera (desculpa por falta de argumento). :)

Foste. Ela manda-nos ir, agora. Agora só Lisboa (e arredores) poderá ver. Mas o Centralismo é mais que real. Eu só queria realçar a perigosidade dos caminhos alfacinhas que a Catarina anda a levar.

Ai, duas mulheres para um homem cansa qualquer um... :P

Beijoooooooo, às duas!

Catarina disse...

@Carla: Vais ver que depois de economia feita vai saber melhor sair para nos divertirmos. E David Fonseca espera por nós :)

@Luís: Eu não sou nada bairrista! Não te esqueças que tenho uma costela alfacinha, mas que nada interfere naquilo que sou nem essa nem as outras costelas ;)

@Ana: Não sou grande fã do La Féria, mas fui ver algumas peças dele. A que mais gostei foi esta talvez pela grandiosidade já referida de José Raposo...


Beijinhosss

Fotógrafo disse...

O meu carnaval foi passado entre gôndolas e máscaras gato pela quinta vez consecutiva! Começo a ficar um pouco farto, já.
Quanto ao teu carnaval sei que foi bem passado, porque também eu tive a oportunidade de ver "A Gaiola das Loucas" em "outros carnavais" e sei do que falas quando dizes não conseguir descrever tal espectáculo em texto.

Beijinhos com direito a plumas e purpurinas :)

jefhcardoso disse...

Olá! Não tomarei muito de seu tempo. Venho divulgar o meu atual trabalho, que se trata de meu primeiro microconto “O Aparelho Digestório”. Caso se interesse e me visite, será um imenso prazer retornar a esta casa com mais tempo, atenção e calma.

Forte abraço de Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com de blog em blog
divulgando e dando o recado!

AnAndrade disse...

Catarina: como tu, de bairrista também tenho muito pouco. Adoro Lisboa, vivo no Porto por opção e não gosto nada do paleio do costume sobre a velha guerra Norte-Sul (que, como tu própria confirmarás, é muito mais animosa cá em cima).
Agora, Luisinho... A peça esteve que tempos no Porto, caramba. Estreou cá e tudo!

:)