terça-feira, 6 de outubro de 2009

Tapar buracos

Das 1001 vezes que li o livro que toda a gente já leu, A Lua de Joana, uma das passagens que mais me marcou foi:"E percebi que os sorrisos servem para uma data de coisas. Como por exemplo, para tapar buracos quando o mar das palavras se transforma em deserto".
Não sei se por ser um comportamento de defesa de que faço muitas vezes uso, se pela forma singela de dizer que um sorriso amarelo pode salvar muitas conversas quando já não há mais nada para dizer, o que interessa é que me é muito especial este bocadinho.
Agora digam-me:
Como é que se tapam "buracos quando o mar das palavras se transforma em deserto" quando sorrir não é uma solução adequada?
Eu não sei!

2 comentários:

Lizzie disse...

tambéém já li 'Lua de Joana' :b há muito tempo atrás.. grande licão de vida.



beijinho.

AnAndrade disse...

(Antes todos tivessem lido, minha querida...) Não fales, não rias, não tapes buracos. Nem sempre temos de ser super-pessoas!

Beijo!