quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Factor Portuga

Há uns dias, um amigo disse-me que eu só consigo desenvolver um texto realmente bom quando estou triste. Pois que reflecti sobre o assunto e cheguei à conclusão de que a tristeza me faz sentir tão vazia que tenho que me preencher de alguma forma e escrever, parece-me, uma boa forma de o fazer! Ao contrário, quando me sinto feliz sinto-me tão completa que nem tenho palavras para descrever o que sinto, logo é com mais dificuldade que escrevo.
Há também o factor que designo como "factor portuga". Português que é português gosta de um bom drama, eu não sou diferente (ou às vezes sou, porque até nem sou nada dada a conversas de desgraças...). Agora, se os meus textos só são, efectivamente bons quando estou triste, ou não, não faço ideia, para mim são todos iguais, apesar das suas singularidades...

1 comentário:

André disse...

Não acho!